8

As 5 Maiores Lições que Aprendi com o Furacão Irma

Quadro de giz

Nunca pensei que fosse aprender tanto em tão pouco tempo! Foram 3 dias de intensos aprendizados numa situação totalmente nova para nós.

Algumas cenas, como a evacuação de aproximadamente 6 milhões de pessoas, mais pareciam ter saído de um filme de Hollywood!

Congestionamento de carros

Sem esquecer daqueles que infelizmente sofreram perdas irreparáveis na passagem do Irma, fiz um rápido balanço do significado direto desta situação para mim e minha família.

A conclusão é que, passado o susto, temos um saldo positivo, com lições valiosas que levaremos pelo resto da vida.

#1 – Medidas de prevenção contra furacão


Todas as ações preventivas listadas no meu POST anterior são importantíssimas e podem, de fato, salvar vidas.

O povo brasileiro não é exatamente conhecido por seu planejamento antecipado. É, infelizmente, cultural a tendência de deixar tudo para o último minuto.

Mas numa situação em que se tem que enfrentar desastres naturais, a antecipação e o preparo fazem toda a diferença.

Muitas pessoas conhecidas ficaram praticamente 2 dias sem poder sair de casa por conta dos alagamentos e ventos fortes. E se não tivessem estocado comida, água, e até mesmo remédios?

Na sexta-feira, 08/Set/17, com as previsões de que o Irma poderia chegar na região de Atlanta, fomos reforçar nosso estoque de água mineral, mas…. o estoque do Costco mais próximo (imenso centro de varejo presente em diversos países do mundo) tinha ZERADO dias antes.

As filas dos postos de gasolina estavam bem maiores do que o normal, e já havia falta de combustível em algumas unidades.

Graças a Deus, tudo acabou se normalizando (compramos mais água no dia seguinte, no Walmart). Mas o fluxo de pessoas evacuando da Flórida (aumentando a procura) e a possibilidade de termos que enfrentar o furacão de frente, sem dúvida, impactou o mercado local.

Prevenção, sem dúvida alguma, é o melhor caminho.

#2 – O Trajeto do Furacão


Trajeto do Furacão Irma

As previsões iniciais eram de que o Irma impactaria mais fortemente a leste da Flórida, mas conforme foi subindo, seu trajeto foi sendo alterado, passando mais para o oeste.

Na prática, o efeito desta alteração foi que as regiões que antes pensavam que não seriam tão fortemente atingidas, passaram a conviver com a possibilidade de ter carros, barcos, casas destruídas, ruas alagadas, falta de água, luz, gás… As pessoas têm então, que tomar decisões estratégicas sobre para onde ir, o que estocar, em que momento, com quem…

Nós, na proximidade de Atlanta, passamos de “quase” espectadores para potenciais vítimas. Depois – na medida em que o furacão foi perdendo força e traçando uma curva à oeste, em direção ao Alabama – passamos a ter novamente a perspectiva de maior tranquilidade por aqui.

Isto tudo quer dizer que quando houver um furacão, temos que ACOMPANHAR DE PERTO os canais de notícias e as autoridades locais. A situação toda pode mudar em questão de horas.

#3 – Consequências Físicas do Irma


Árvore Quebrada

Após provocar uma devastação histórica no Caribe, o Irma chegou na Flórida forte, causando estragos como alagamentos, casas destruídas, árvores arrancadas, barcos revirados e inutilizados.

O pior, obviamente, foram as vidas perdidas. Até agora contam-se 19 fatalidades e as autoridades estão investigando se 5 idosos mortos hoje, 13/Set/17, numa Casa de Repouso na Flórida, têm relação com o furacão.

A falta de energia, e consequente falta de ar condicionado / altas temperaturas, podem ter causado estas mortes.

Com a perda de força do Irma depois que fez “landfall” (chegou em terra), na nossa área (à nordeste de Atlanta), tivemos apenas um (grande) galho quebrado da árvore em frente da nossa casa. Muitas folhas e gravetos espalhados pelas ruas da cidade.

Tivemos notícias de que pelas diversas vizinhanças da região houve quedas de árvores, ruas interditadas e falta de energia.

As crianças não tiveram aulas por 2 -3 dias (o que não acharam nada ruim!), e muitos escritórios fecharam as portas por pelo menos um dia (11/Set).

Mas mesmo tendo sido reduzido para Tempestade Tropical aqui na Geórgia, este furacão ainda causou pelo menos 3 mortes no estado, sendo 1 no meu condado, onde uma árvore caiu em cima do carro de uma senhora.

Não podemos subestimar o poder de algo tão incrivelmente forte. Furacão ou tempestade, tem o poder de colocar um fim imediato no que mais nos importa: nossas vidas.

#4 – Ações de Solidariedade


Caridade, Voluntariado

Esta foi a lição mais bonita de todas!

Várias famílias daqui da Geórgia receberam amigos e familiares vindos da Flórida. Vimos várias casas com mais carros do que o normal, parados em suas entradas, com placas do estado vizinho.

Mas apesar de ser um gesto bonito, para ser sincera, não vejo nada de excepcional nisto. É o mínimo que se espera.

Fiquei emocionada mesmo ao tomar conhecimento de pessoas, moradores da região metropolitana de Atlanta, que criaram grupos no Facebook para oferecer apoio, abrigo e doações para quem precisasse.

O melhor da história: movimento feito por Brasileiros!

Mulheres brasileiras que se mobilizaram para oferecer ajuda, abrindo suas próprias casas para mais de 300 pessoas que nunca haviam visto na vida.

Li o relato emocionado de uma mulher que foi acolhida. Ela dizia: “… Uma brasileira maravilhosa e sua família, me ofereceram sua casa e toda assistência nesse momento de dificuldade… Brasileiros acolhendo brasileiros… Serei eternamente grata!”

#5 – Real Perspectiva


Nascer do Sol

Photo by Rose Erkul

No dia-a-dia nos preocupamos sempre com tantas coisas: trabalho, casa, educação dos filhos, finanças…

Com a incerteza do que nos acontecerá nas próximas horas, acabamos tendo uma perspectiva de maior lucidez aplicada às nossas vidas.

Sei que soa clichê, mas é real!

O que, de fato, importa?

Li um texto, de autor desconhecido, que sintetiza muito bem o que se pode tirar de positivo de uma experiência destas.

Quero compartilhar com vocês, alguns trechos:

Reflexão

Autor Desconhecido

 

Concluindo


O Irma, apesar de tudo, trouxe aprendizados valiosos: entre outros, um maior Senso de Comunidade, e um Olhar para a Vida com mais Gratidão, típico de quem sabe que o mais importante está no Dom da Vida, e no que decidimos fazer com ele, a cada dia.

Espero não ter que passar por outro furacão para lembrar disso novamente.

***

Adoraria ouvir as experiências de quem já passou por algo parecido. Como foi a preparação, o impacto e o aprendizado? Se tiver algo a dizer, fique à vontade para escrever nos Comentários abaixo.

Estou sempre publicando coisas novas, com dicas sobre como viver o Sonho Americano. Se quiser saber tudo em primeira mão, curta a minha página no Facebook (indicação no final desta página, ou no canto superior direito).

Vamos continuar nosso papo!

Abraços,

Assinatura Eliane

 

Eliane Lima

8 Comments

  1. Oi Eliane, tudo bem?
    Adorei o seu post! Realmente deve ter sido uma experiência muito forte passar por tudo isso. Eu tenho vários amigos em Miami e acompanhei “de perto” o baque que foi. Passar por um furacão não deve ser fácil, mas adorei o texto que compartilhou ao final, realmente, o que importa são as lições que essas experiências trazem né?!

    Nessa sua fase de vida norte-americana você chegou a passar por alguma outra experiência traumática assim? Ou essa foi a primeira (e espero que última)?

    Grande beijo,

    • Oi, Paula!

      Graças a Deus, tudo bem!

      A situação na Flórida, principalmente no sul do estado, foi bem mais forte. Para nós foram principalmente chuva e vento fortes.

      Acho que o que mexeu mais conosco foi a expectativa do que iria acontecer. Tudo acontece muito rápido e, de uma hora para outra, o furacão muda o trajeto para praticamente bater à sua porta.

      Por isso achei tão importante a questão do preparo para se proteger (que eu já tinha pesquisado antes e compartilhado aqui no Site neste POST), e acompanhar de perto as orientações das autoridades locais.

      Nós nunca tínhamos passado por algo tão forte por aqui. Algumas tempestades e ameaças de tornado, mas todos bem mais tranquilos.

      No balanço final, muito aprendizado!

      Obrigada e beijo.

  2. Olá Eliane!
    Uau, gostei muito deste seu post. Está muito bem escrito e faz-nos realmente pensar no que é importante. Acho que de uma forma ou de outra, todos passamos por furacões em nossas vidas. Pode até não ser um furacão na verdadeira essência da palavra mas todos passamos por altos e baixos, e muitas vezes no nosso interior parece haver um rebuliço imenso de ventos e tempestades. Embora isso não seja de todo muito prazeiroso, sei que muitos de nós crescemos através desses momentos, por muito difíceis que eles possam ser. Como você disse, espero que nenhum de nós tenha que passar por mais furacões (reais ou metafóricos) para nos lembrarmos quão boa a vida é. 🙂 Fico muito contente que tudo não tenha passado de um susto para você e sua família e sinto muito por aqueles que de alguma forma sofreram com o Irma. Espero também que este sirva de lição para nós, para que escutemos a terra. Ela está zangada connosco, pelo menos um pouco, por não a tratarmos tão bem quanto devíamos. Acho que essa também deveria ser outra coisa de que nos deveríamos lembrar.
    Obrigada pela sua descrição e reflexão! Está muito bonito este texto!

    Beijinhos,
    Mia

    • Oi, Mia!
      Muito obrigada por suas palavras.

      Acho mesmo que temos duas opções ao passarmos por situações críticas como a passagem do furacão Irma foi para nós:
      1) simplesmente agir de forma prática, tentando se PREVENIR e depois reagir ao que de fato ocorrer;
      2) além disso, tirar lições do que aconteceu.

      Você foi ainda mais a fundo, e acho que tem total razão, ao dizer que todos passamos por furacões (reais ou metafóricos).
      De toda forma, sempre podemos aproveitar para aprender e melhorar em algum aspecto, seja ele individual, coletivo ou em relação à própria natureza que está, claramente, gritando por mudanças.

      Um beijo,
      Eliane

  3. It is uplifting to see how you took the opportunity of this disaster to learn and grow. I appreciate your positive attitude about the hurricane, and I fully agree.
    We don’t have hurricane problems in Ohio, where I live, but we do deal with tornado watches and warnings pretty often. While these situations always cause concern, they mostly open doors and it is up to us to look or walk through them.
    Every power outage, warning to take cover, evacuation, etc. is an opportunity to step out of my routine and see people and life differently. If I come through it without broken bones, and no family or friends are hurt, then it is an opportunity.
    I love opportunities, and so I thrive and grow.
    I see this post as a call to do more of that growth, and a guide for your way to do it.

    • Hi, Steve.

      Thanks for your comment. I’m glad you too have a positive view of natural disasters. As much as possible, anyways.

      You see, when we decided to move to the States we pondered about a lot of things and consequences but – I have to say – we didn’t consider tornadoes or hurricanes.

      Hurricane Irma was our first (and hopefully the last). And it sure came loaded with lessons, like “how to get ready for a hurricane“. But the most invaluable lesson was – for sure – the appreciation of our own lives.

      I hope we all keep learning and growing upon the turns and twists in our paths.

      All the best,
      Eliane

      IN PORTUGUESE:
      Oi, Steve.

      Obrigada pelo seu comentário. Fico feliz que você também tenha uma visão positiva sobre disastres naturais. Pelo menos, na medida do possível…

      Veja bem, quando nós decidimos nos mudar para os EUA nós ponderamos sobre muitas coisas e consequências, mas (tenho que dizer) não consideramos tornados e furacões.

      O furacão Irma foi nosso primeiro (e espero que o último). E, com certeza, veio recheado de lições, como “como se preparar para um furacão“. Mas a lição mais valiosa foi, sem dúvida, a valorização inquestionável do dom de nossas vidas.

      Espero que continuemos aprendendo e crescendo diante das reviravoltas que surgirem em nossos caminhos.

      Tudo de bom!
      Eliane

  4. To be in control of the story and the wheels to make the engine run. That is what the development of a website is supposed to showcase and you have achieved that.
    in a short time you have attracted 136 individuals and it is only going to grow from here.
    one day I may hear about you in the news or on the radio and I can’t wait.
    I love your enthusiasm and how you bring the world to the people.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *